Loading

A união faz a força: o poder do co-branding

By João Eisenmann In Estratégia, Marketing Digital novembro 15, 2017

Sempre ouvimos que uma marca disputa com seus concorrentes diretos, mas estamos começando a ver que dentro de mercados competitivos existe uma briga ainda maior pela atenção do cliente. Com tantas mensagens que chegam de diferentes empresas (concorrentes ou não), certamente a tarefa de chamar a atenção do consumidor ficou mais desafiadora. E essa competição acirrada vem obrigando as marcas a encontrarem novas formas de se promover, como o co-branding. 

 O que é co-branding?

De forma resumida podemos dizer que o co-branding é a união dos esforços de duas marcas para impactar a audiência e essa parceria pode acontecer de duas formas: criando um novo produto ou vendendo de forma conjunta.

No primeiro caso, as marcas usam suas expertises e conhecimento para desenvolver e comercializar um novo produto ou serviço que atinja diretamente os seus consumidores e outros públicos-alvo. Um exemplo famoso desse tipo de co-branding é o Bis Oreo, que uniu o sabor dos dois doces em um novo produto para o portfólio da Mondelez Brasil.

Já no segundo caso de co-branding – e também mais fácil de ser realizado – as marcas apenas criam ações para vender os seus produtos de forma combinada. Fazendo isso, as marcas envolvidas conseguem atingir a novos públicos e ainda reduzir os esforços. Um exemplo de marcas que tiveram sucesso com essa estratégia são a Starbucks e a T-Mobile que se uniram para oferecer conexão Wi-Fi nas lojas da marca de café.

Como o co-branding pode ajudar meu negócio?

Agora que você já sabe quais são as formas mais comuns de praticar o co-branding, vou explicar um pouco mais sobre as vantagens de inserir essas parceiras em sua estratégia de marketing. Podemos dizer que o principal motivo que leva as empresas a recorrer ao co-branding é para conseguir alcançar novos mercados de forma mais fácil.

Quando uma marca estabelece um relacionamento deste tipo, ela começa a conseguir impactar os fãs e clientes das marcas parceiras de forma mais fácil. E, ainda tem como benefício o endosso dessa marca, aumentando a credibilidade da sua empresa e visibilidade de seus produtos.

Entre alguns outros motivos para aderir ao co-branding também estão em descobrir novas oportunidades de negócio, encontrar diferentes fontes de receita, gerar brand awareness e fortalecer as vendas em situações de baixa sazonalidade ou em localizações com índices de conversão inferiores.

Como eu encontro uma marca parceira?

Boa parte do sucesso de uma estratégia co-branding está em escolher os parceiros ideias para a sua marca. Tente optar por empresas que ofereçam uma solução complementar à sua, por exemplo, se a sua marca for de sorvetes, seria uma boa ideia se juntar com uma empresa de balas de goma ou de biscoitos para incrementar a oferta. O importante é escolher marcas que não compitam diretamente com você para não acontecer uma canibalização da sua oferta durante a ação.

Outro fator importante é considerar o perfil da empresa que se tornará sua parceira. Como você irá aliar a imagem da sua marca com a de outras, é preciso ter cuidado para não escolher um parceiro com um discurso muito diferente ou que não tenham valores parecidos.

Uma vez escolhido o parceiro para o co-branding, é hora de partir para o lado prático do negócio. Defina em conjunto com a outra marca quais são os principais objetivos da parceria, qual a melhor forma de aplicar o co-branding e, como viabilizar a estratégia e tirá-la do papel. Só não se esqueça que o resultado final deve representar a combinação das duas marcas, transformando-se assim em uma relação de “ganha-ganha”.

E aí, ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, deixe o seu comentário abaixo que terei o prazer o respondê-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *