Loading

Growth Hacking: Acelere o crescimento do seu negócio

By João Eisenmann In Estratégia, Marketing Digital, Produção de Contéudo novembro 22, 2017

Quando falamos de novas iniciativas de marketing que vem chamando a atenção do mercado, muitas empresas têm a sensação de que aquilo não é para elas. Uma ação com um influenciador famoso, por exemplo, requer um alto investimento sendo apenas viável para grandes organizações. Mas, na minha visão, o Growth Hacking é o ponto fora da curva nesse sentido.

Em sua essência, o Growth Hacking não pressupõe necessariamente algum tipo de investimento inicial. Na verdade o criador da ideia e do portal GrowthHackers.com, Sean Ellis, deu essa terminologia as suas séries de tentativas para ampliar empresas que estavam apenas começando seus negócios.

Para fazer isso, ele aproveitava algumas oportunidades (hack) e usava-as para gerar crescimento (growth). Na explicação do próprio Ellis, o Growth Hacking é um marketing orientado a experimentos.

A ideia rapidamente se popularizou e ganhou o coração das startups, empresas que buscavam crescimento rápido e tinham um baixo orçamento para investir em grandes ações de marketing. Uma das empresas que chegou a usar o Growth Hacking logo no seu início foi o Facebook, ao sugerir ao usuário a opção de enviar e-mails de convite para seus amigos participarem da rede social. Desta forma, a plataforma conseguiu atrair mais usuários contando com a ajuda de quem já estava em sua base.

Qual a diferença entre o Growth Hacking e o marketing tradicional?

Mesmo tendo ganhado destaque dentro de startups, isso não significa que outros tipos de empresas não possam aproveitar os benefícios do Growth Hacking para suas marcas. O importante aqui é entender que essa nova tendência funciona de forma diferente do que estamos acostumados.

No marketing tradicional você usa diferentes canais e formatos de comunicação para passar mensagens aos seus clientes, sejam elas para divulgar produtos, gerar brand awareness ou para PR. Já no Growth Hacking, suas ações precisam estar totalmente voltadas para crescimento (exemplo: assinaturas, usuários, base de e-mails), por isso, elas devem ser mais focadas no resultado.

Outra diferença é que as táticas de Growth Hacking são criadas e colocadas em prática em forma de tentativas. Quem trabalha com isso, normalmente, propõe algumas soluções, as coloca em prática para ver como elas performam e acompanha de perto o resultado de cada iniciativa. Se elas não estiverem dando resultado, isso significa que está na hora de pensar em outras opções; se o saldo for positivo, o próximo passo é aplicar a solução em maior escala para aumentar ainda mais os resultados.

Como você pode usar o Growth Hacking em sua estratégia

Não pense que por se tratar de tentativas, as iniciativas de Growth Hacking são criadas rapidamente. Para fazer um bom trabalho, é preciso analisar toda a jornada de compra do cliente, entender em qual momento a performance é menor e em qual parte do funil de marketing o trabalho deve focar. Depois, as ideias devem ser discutidas em uma reunião de brainstorm e sua aplicação acompanhada a cada passo até a implementação e análise de resultados.

Apesar de trabalhoso, o Growth Hacking já se provou uma estratégia de sucesso e de longo prazo – uma vez descoberta a fórmula do sucesso, o crescimento começa acontecer sem maiores esforços. Se você quer usar o Growth Hacking para acelerar o crescimento do seu negócio, tente começar identificando em qual parte do funil de marketing você deve focar esforços.

Se você precisar de ajuda para entender como encaixar o Growth Hacking no seu negócio e qual a melhor forma de usar essa estratégia, entre em contato comigo. Ficarei feliz em ajudá-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *