Loading

Redator, o digital veio para ficar!

By João Eisenmann In Produção de Contéudo março 10, 2017

Geralmente o redator se descobre redator publicitário na faculdade. Como a área da comunicação oferece múltiplos caminhos, é normal que entremos pensando em ser mídia e saiamos atendimento. Ah! E não se preocupe se depois de dois anos você partir para a criação, os caminhos estão abertos para todos nós nos aventurarmos e nos experimentarmos nesse mundo da publicidade. Mas voltemos à redação.

Na universidade, os futuros redatores piram nos textos geniais feitos para revista, outdoor ou naquela peça alltype de página inteira para o jornal de domingo. A partir daí cria-se toda uma expectativa de carreira totalmente focada na redação para veículos tradicionais. O digital, entretanto, é o patinho feio e, salvo as raras exceções, não costuma empolgar.

Jovens! O digital veio para ficar, portanto, vale a pena pesquisar o que está rolando no mercado de marketing digital e vê-lo com um caminho a ser seguido sem preconceito – via que pode ser o rumo para o seu sucesso.

Não há mais como desvincular o tradicional do digital, e isso já não é novidade há tempos, tornou-se regra. Então, se joga, foi isso que eu fiz!

Uma característica do conteúdo textual produzido para o digital, é a sua fluidez, recebendo rápido feedback dos usuários das mídias sociais. Como o conteúdo imediatamente será apropriado pelo usuário, a familiaridade e proximidade são alguns dos pontos principais dos textos produzidos para o digital. No mundo online, as interações são “cara a cara” e as marcas precisam estar preparadas para receber este usuário que a trata como um de seus amigos da rede.

No digital, o público é o dono do conteúdo, ele compartilha, replica, recria e faz viralizar o que as marcas dizem. Além do conceito coletivo que as redes trazem, o texto para marketing digital deve englobar a particularidade dos usuários.

Marketing digital não está limitado ao meio digital, ele pode levar o usuário para fora das redes, pode começar no offline e terminar no online. O marketing digital é permissivo, é inovador, um espaço voltado para a experimentação. As redes estão sempre abertas a formatos e linguagens fora do comum. É uma constante em que o usuário se apropria do conteúdo das marcas e vice-versa.

 

Como você profissional deve lidar com esse meio?

Basicamente, deve estar preparado para reações negativas tanto quanto para as positivas. É preciso ser rápido nas respostas e às vezes se desdobrar para atender o usuário. (já teve marca ensinando a jogar jogo de vídeo game e dando receita culinária).

Você precisará ser mais um dos contatos desse consumidor. É preciso ser pessoal e carregar os valores da empresa em cada palavra e recurso empregado para gerar conteúdo digital. Há diferentes políticas de interação para cada marca, mas no geral responder é sempre uma regra. Ponto positivo para as empresas que desenvolvem conversas, ainda que não seja possível fazer isso com todos os que interagem, é preciso estar preparado para conversar e atender as necessidades do usuário.

Estar pronto para ser uma ponte entre o offline e o online – o conteúdo produzido deve ser pensado para as redes, mas não pode se limitar a eles. Um dos grandes objetivos do marketing online é reverberar no mundo offline.

Outro dia, conversando com um amigo, me dei conta que aquele “fetiche” que tanto nos marca na época da formação acadêmica de que o caminho glorioso para a redação está nos meios impressos e offline, é apenas mais um dos mitos que caem assim que colocamos os pés no mercado profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *